TIPO

– Então, como posso ajudá-lo?

– É estranho. Eu quero ajuda pra entender por que algumas pessoas desapareceram.

– Que tipo de desaparecimento?

– Não do tipo criminoso. Eu conhecia gente em 1994 que não conheço mais.

– Compreendo.

– Eu não.

– Essas pessoas lhe eram muito próximas?

– Não, não, nem todas, particularmente, nem todas particularmente.

– Você se sente abandonada por elas, por todas essas pessoas, próximas ou não de você?

– Não. Só acho curioso, extremamente curioso, curioso ao ponto de me causar uma coceira que me dá náuseas…

– É por isso que sua pele descama aqui e ali? Curiosidade por conta desse caso específico?

– Não me diga o óbvio.

– Você é do tipo agressivo. Me diga: gostaria imensamente de conhecer ainda hoje as pessoas que conhecia há cerca de 14, 15 anos?

– Todas… não sei. Nem sei se algumas eu gostaria de conhecer hoje. Mas acho suspeito o fato de elas terem simplesmente desaparecido da minha vida. Suspeito, a palavra é suspeito. Para onde elas foram? Para onde foi esse tipo de gente na sua vida? Gente de 14, 15 anos atrás?

– Mas não é para esse tipo de discussão que estamos aqui agora, é?

– Você também vai sumir em breve, você é bem do tipo que some.