LARGO HORIZONTE

No dia 13 passado eu republiquei aqui um texto que expande uma frase minha ou minha frase é que resume esse texto (pelo menos na minha opinião, que é a que importa onde eu escrevo o que eu quero: aqui). A frase é A CABEÇA, SEMPRE MAIOR QUE O CRACHÁ ou CABEÇA > CRACHÁ. O texto é este, linkado aqui.

No dia 16 Lenina Crowe me avisou que um colega tinha sido sorteado para sair do Local e seguir para Not A Ilha.

O nome do texto que tinha relinkado cá dias antes é “A sua vida, saca?”. Eu acredito na maioria das coisas que aquele texto afirma. Mas fiquei chateada e com vontade de sair correndo porque o colega que foi para Not A Ilha era um amigo, embora a gente se tratasse por colega porque o Diretor-Adjunto de Predestinação não encoraja o investimento em amizades no Local. Pra me distrair e parar de olhar para o cubículo do amigo, decidi fazer uma lista das vezes em que The Great Escape foi mais que um álbum do Blur pra mim.

No próximo post solto a lista. Por enquanto, o clipe de uma música que definiu um certo espírito-de-porco dos anos 90 que de vez em quando volta como náusea e tem alguma coisa a ver com obedecermos ao sr. Diretor-Adjunto de Predestinação.