Não foi fácil convencer uma corporação como a Globo.com de que, pagando pelo serviço, eu tinha direito de fato a utilizá-lo. É assim mesmo a vida moderna. Você precisa ter lábia. E grana pra pagar os telefonemas que duram meia hora cada, pelo menos, pra conversar com meia dúzia de funcionários que não compreendem direito o que você quer, o exato serviço de web pelo qual você PAGARÁ com DINHEIRO. Ou sei lá, talvez esteja calor demais pra tudo isso.

Devolveram-me o blog bem a tempo de eu migrar todo o conteúdo dele para o WordPress, o que ocorrerá assim que eu entender como se faz isso, porque não espero que ninguém me ajude a trocar esta lâmpada, matar esta barata, alisar este naco de cabelo que permanece com frizz.

Tô escrevendo o livro de Berlim e lendo os trabalhos já prontos dos colegas de projeto. Cada um deles. Mesmo sem que os autores saibam disso. É. O originais. Não revisados. Também os observo enquanto estão no toilette.

***

leitores: ALISTEM-SE.