Eu sei, eu sei, desde terça. Mas eu nunca prometi freqüência. Eu nunca prometi nada, nem que informaria qualquer coisa sobre mim. Mas é um bom momento pra começar.

Neste exato parágrafo fui interrompida. Quantas vezes antes aconteceu, não sei. Esse negócio de morar com outra pessoa não é comigo. Imagina eu ali, com meus pensamentinhos, os toscos e os passáveis, e aí dá um furacão e espalha tudo, vejo todos eles voando janela afora. No lugar deles, o furacão cospe outros, que não são meus. São pensamentinhos de outra pessoa; sobre o tempo, sobre batatas fritas, novamente o tempo. E o tempo, o tempo.