eu boto isso aqui onde eu quiser

(p.s.: vai me desculpar quem já leu isso mas não é todo dia, o rosto exato do texto.)

Acabei lembrando de uma coisa que eu vi dormindo, e anotei sem cerimônia lá embaixo, no restaurante, já com o garçom lendo por cima do meu ombro: você é um desses anjos duros da Cinelândia que estão sempre se atirando do monumento. Os pombos cagam na tua cabeça, os meninos picham os teus panos esculpidos e você finge que voa. Faz um belo movimento congelado de mármore com essas asas pra mim.