Portaria do prédio velho pariu sexta-sol fervendo na calçada com fio da tanga enfiado na bunda a duas quadras pro pico da praia Bradesco com cheiro de alho do almoço da empregada na boca polpuda e molhada (pra sábado é um pulo) e tem feira domingo suja a rua oca os buracos cheios de alface e resto de peixe fedido pro gato pereba esgotar nesse mundinho pequeno de Copa vem o garoto da turma B que roçou na excursão (não fiz a prova hoje que a segunda chamada é mais fácil) e quem tem as respostas? se não procura nenhuma tão nova comendo açaí na tigela Traz a pessoa amada em três dias com um bico do peito duro outro não às 11h a claridade estala na vista e a luz chama da praia onde é mais tranq caminhar que desse lado é só prédio prédio prédio padaria prédio e a luz na areiachama alto por ela que agora quer côco gelado côco gelado e ouve inglês inglês francês brasileiro misturado e vê cocker spaniel e diz que poodle não é cachorro e vê o labrador amarelo e aí vem velho velho e malhado e velho velho e aí novo novo novo malhado banha velho novo malhado que deixa o rádio do quiosque ligado e não pensar no resgate da cultura nacional porque ela nunca mais tão nova rindo pro garoto que pega a filha do professor de física esquisita magra sem peito e peito ela tem um duro outro não bunda ela tem FarMais biquíni enterrado morenando onde o garoto da magra vai ver mais tarde pra sábado um pulo esquisita moda beijar a amiga na boca que todo mundo faz (gozou círculos rápidos fric fric fric com o dedo na palma da minha mão) a pele mais macia a boca de alho da empregada cozinha cigarro babado Bob´s entre os lábios depilados axilas nascida e criada na quadra perfeita da praia Posto Três não dá pra fumar (para não esquecer) é tudo tão claro caminhar entre os velhos que mal passam de passos quase mortos eu tão viva entre os velhos que não passam de hoje entre os velhos que não passam de corpos fedendo a talco eu na praia sem pêlos vó sofre dos nervos remédio malocado pra misturar com bebida seis bolinhas pra sábado é um pulo onde vai encontrar dedinhos de unhas bem feitas curtas roçando no fundo se a magra for junto esfregando sem pêlos a pele mais macia outro cheiro Rei do Bacalhau assada entre as coxas (fiquei com um garoto preto) trocar o piercing do umbigo infeccionado mais 50 reais drenou um pusinho (pusilânime palavra ouvida na reprise da novela) despertar das veias por baixo da sunga pés queimam areia a poluição um mal reversível a lycra cravada na bunda sobre canga-zodíaco sob barraca ATL R$2, 00 adora uma baixaria mas sabe falar docinho na ponta da orelha a amiga prevê no tarô que ela vai casar e ser rica a vida é tão boa quando a gente é bonita mesmo meio sapatão mas é moda a bocamiga peitos bonitos qualquer homem vê o que é a menina da quadra perfeita da praia.