quer saber de um sonho? começa assim: não existe dizer que não sonha. você sonha, só não quer esse sonho. ele não lhe serve. queria um sonho mais bonito, um sonho mais longo, um sonho mais vinho, mais enlouquecido, mas sonho. você sonha, até que sonha, mas não é essa coca-cola toda que contam por aí nos divãs e seus amigos detalham entusiasmados no bar quando chegam “sonhei contigo!” e é uma história que consome a noite toda nossa como parece ter consumido a dele. não, não esse tipo de sonho. seu sonho é bem escrotinho, bem pequeno, bem esconde seu sonho dos outros porque ele não é um sonho. é um sonho.