– Você às vezes tem a sensação de que ninguém, nem nada, pode te fazer feliz?

– Tenho.

– Eu também. Não acho que isso seja comum.

– Acho que não.

– Quer alguma coisa?

– Quero, mas não vou gostar ou vou cansar depois.

– Isso é comum.

– É comum?

– Isso é. E achar que ninguém nem nada pode fazer a gente feliz é supervalorizar os períodos de insatisfação, já que é comum não gostar de uma coisa ou enjoar dela depois.

– É um fatalismo.

– Um dramalhão.

– Não serve de nada.

– É uma pirraça. Uma teimosia. Insistir na infelicidade.

– E eu pensei que meus piores hábitos fossem o cigarro e a bebida.