Check up

Coisa essencial que a Escola de Comunicação não ensina é a importância de o jornalista, crítico e/oucolunista terem bom preparo físico. Acharão isso uma qualidade apenas superficial para o exercício da profissão aqueles que nunca levaram carreira de leitores mais nervosinhos que apoiam o Metallica e odeiam o Napster ou discordam da sua opinião sobre um filme, disco ou teste de DNA para provar que esperam filho de jogador de futebol. Não é incomum desagradar um ou dois malucos com um texto mas, se tá achando pouco, um só correndo atrás de você já é prejuízo se não tiver o tal do preparo físico. A carosca de alguns jornalistas é amplamente divulgada, graças àquela fotinho ou caricatura que vem às vezes no canto das colunas ou por conta de algum dedo-duro que numa festa diz prum grandão: “foi aquele ali que escreveu um artigo pedindo pra vetar a entrada de lutadores de jiu jitsu nas boates”. O negócio é não dar mole.

Por enquanto a academia não faz efeito em mim (e não me refiro à Academia, que não me fará efeito jamais), minha carreira fica por aqui mesmo na web, onde acabo de correr para um canto seguro chamado (entre parênteses), esta birosca onde você se encontra lendo o que produzo quando não estou criando banners para vender espartilhos pretos e outros produtos menos cotados em lojas virtuais.

VMA

E por falar em Metallica, bastante coerente com sua guerrinha contra o Napster foi a atitude de Lars Ulrich no Video Music Awards, exibido semana passada pela MTV. Provou que tem menos maturidade que o guri de vinte-e-poucos anos que criou o Napster: quando este entrou vestindo uma camiseta do Metallica no palco para apresentar um prêmio, Ulrich, mostrado pela câmera da MTV, fechou os olhos e fingiu estar dormindo. A piada do guri: “Like the shirt? A friend of mine shared it with me.”

Perdedor

Pedro Ivo vai além do “maluco engraçadinho” em sua coluna Loser, no http://www.cucaracha.com.br: desconstrói imagens e jeitos automáticos de pensar do universo Hebe-Faustão para criar suas curtas, grossas e hilárias histórias. Taí um que precisa ir se exercitando.